O seu critério para escolher qual graduação cursar é optar por aquilo que você gosta? Então, vai fundo! Tem gente sendo muito feliz com escolhas que envolvem mudanças e desafios. A Ana e a Val nos contam como isso acontece no curso de Gastronomia, em mais um post da Série Profissões. 😉

Decidir pela Gastronomia já é um desafio na hora de pesquisar pela faculdade. São poucas as cidades no Brasil que possuem o curso de bacharelado, a maioria dos cursos são tecnólogos.

Na modalidade tecnológica, os alunos recebem um enfoque mais prático, enquanto o nível superior proporciona aulas com teoria.

Cozinhar e viajar

Aos 20 anos, Ana Luiza Borghetti está no sétimo semestre do curso na Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), que é considerada uma das melhores faculdades de Gastronomia do país. Natural de Primavera do Leste, no Mato Grosso, ela teve de mudar de estado rumo à Camboriú, em Santa Catarina, para realizar a vontade de trabalhar no setor gastronômico.

 

Cozinhar sempre foi um hábito prazeroso para a Ana, e as pesquisas sobre o curso só a incentivaram a seguir esse caminho.

 

Mas outra paixão também foi motivação: “Sempre me atraíram as possibilidades de viagens que se relacionam diretamente com a gastronomia, uma maneira de viajar o mundo e conhecer culturas através do que as pessoas comem”, diz.

GASTRONOMIA.1Mesmo longe de casa, Ana não esconde a alegria de fazer o que gosta. Arquivo pessoal.

No caso da gaúcha Valéria Blos, de Campo Bom, escolher a Gastronomia significou mudar de país. Formada em Relações Públicas pela UFRGS, ela foi em busca de uma nova perspectiva em Portugal! Val acabou descobrindo que, por meio das notas do ENEM, era possível se inscrever em universidades portuguesas e se candidatou para a Universidade de Algarve, na cidade de Faro.

Quem vai pelo ENEM precisa bancar todos os custos e a universidade também é paga; mas, segundo a Val, nem de perto se compara com uma particular do Brasil.

 

Mesmo fazendo a conversão de euros para reais, o valor que eu pago por ano aqui eu poderia fazer 6 cadeiras durante todo o ano em uma particular do Brasil”, afirma.

 

Lá não se pagam mensalidades, mas sim o valor anual, que pode ser parcelado e permite fazer quantas disciplinas quiser. A faculdade ainda conta com um alojamento de baixo custo, mas Valéria optou por morar sozinha: “Quis ter um pouco mais de conforto e poder trazer o meu gato depois (o animal, no caso rs)”.

As aulas mal começaram e já estão valendo a pena: “A região é lindíssima, com praias ótimas; algo que eu sempre sonhei em ter na cidade que eu morasse”, comemora.

GASTRONOMIA.2Na faculdade, os estudantes aprendem técnicas para a preparação de alimentos e bebidas. Foto: Bruna Antunes/Divulgação.

Áreas de interesse

Ana Luiza conta que se surpreendeu com a infinidade de funções que podem haver na Gastronomia: “O setor é amplo e tem espaço pra todo tipo de pessoa, mesmo pra quem descobre quem não é tão fã de ficar dentro da cozinha”.

Por isso, o curso na UNIVALI é dividido em duas etapas: a primeira com duração de dois anos, chamada de “Chef de Cozinha”, que concede um certificado técnico das matérias práticas de cozinha, como salgada e confeitaria; a segunda etapa, a “Bacharel”, foca em gerenciamento e administração, para orientar o desenvolvimento de projetos na área gastronômica. As duas etapas totalizam sete semestres.

GASTRONOMIA.3Turma da Ana na UNIVALI. Arquivo pessoal.

Veganismo e feminismo?! Sim! O gosto por cozinhar de Valéria também está relacionado com a mudança de hábito. Há dois anos vegana, ela começou a pesquisar os benefícios dos alimentos para o corpo da mulher. Os estudos renderam até alguns cursos que Val ministrou sobre veganismo e feminismo.

 

A escolha pela Universidade de Algarve também se deu por conta da ausência de disciplinas técnicas sobre carne, algo que seria uma tarefa bem difícil para ela. – 

 

“Vou tentar ser uma profissional que se foque na alimentação livre de crueldade, mas não pretendo me restringir a isso, porque não quero ser doutrinadora. Cada um se adapta de uma forma diferente a cada tipo de alimentação”, diz.

GASTRONOMIA.4Val ministrando curso de gastronomia sobre veganismo e feminismo. Foto: Bruna Antunes/Divulgação

A questão da mulher também aparece no reconhecimento dos profissionais. Ana Luiza comenta que, apesar de estarem em número similar na cozinha, a maioria dos chefs que comandam restaurantes famosos são homens.

Inspirações e perspectivas

A Gastronomia é uma área que vem se popularizando no país. Chefs que valorizam a cozinha regional têm se destacado. Ana cita Alex Atala, que possui projetos de pesquisa de ingredientes, e lembra também de Rodrigo Oliveira e Ariane Maluf, da região de Cuiabá.

 

Também sou fã de vários produtores de vinho do Vale dos vinhedos, principalmente da vinícola Almaúnica, e da Luiz Argenta, em Flores da Cunha”, conta Ana. 

 

Já Valéria costuma acompanhar o trabalho de Massimo Bottura, que teve seu restaurante nomeado o melhor do mundo; ela admira o trabalho de Alice Waters, que usa muitos produtos orgânicos; e, na área dos veganos, Bryant Terry. “É bem interessante. Ele relaciona a comida vegana com aspectos culturais, especialmente relacionado à cultura negra do sul dos Estados Unidos”, diz.

GASTRONOMIA.5Nos cursos que Val ministrou, as alunas aprendem a combinar nutrientes para o bom funcionamento do corpo feminino. Foto: Bruna Antunes/Divulgação

Com diferentes interesses, as duas super indicam a área. Ana Luiza pretende aproveitar o projeto que desenvolveu na etapa de bacharel para um dia ter algo próprio, como um pequeno café ou um pub.

 

A área gastronômica te ensina muito a respeitar os demais, te mostra a extrema necessidade de trabalhar bem em equipe”, diz Ana.

 

Interessada por segurança alimentar e aproveitamento de alimentos, Val também pretende aliar os conhecimentos com a sua primeira formação, a Comunicação: “Penso em um negócio que trabalhe com relacionamento, comunicação e atividades direcionadas na área de nutrição para restaurantes e outras empresas”.

Mas as inspirações são muitas! “Mesmo tendo feito outro curso, nunca desisti dessa área. Adoro pesquisar os valores nutricionais dos alimentos, adoro as possíveis reações orgânicas do nosso corpo com uma outra unidade viva. É nossa fonte de energia!”  – afirma Val.

Dicas, pra que te quero!

Bora conferir as dicas das meninas pra quem tá pensando em fazer Gastronomia:

  • Se você procura por algo que foque na prática, há ótimos cursos tecnólogos no país;
  • Você vai encontrar disciplinas que abordam Administração, Recursos Humanos e Mercado no curso superior de Gastronomia;
  • Saiba que, no Brasil, a remuneração ainda não é das melhores, apesar de o profissional fazer toda a diferença em um restaurante ou empresa;
  • A alimentação é um dos maiores problemas sociais que temos. Por isso, procure valorizar as iniciativas de aproveitamento dos alimentos;
  • Não tenha medo de experimentar!

Gostou das dicas das meninas? Esperamos que você tenha curtido essas histórias e as diferentes abordagens do curso. Se liga, que logo tem mais! Até lá!