Seguindo com nossa série sobre profissões, vamos falar um pouquinho sobre a faculdade e a rotina de quem cursa Administração? Para nos ajudar nessa missão, chamamos o Cirilo, um administrador que trabalha em uma grande empresa em São Paulo, e o Rafael, que faz a faculdade no Rio Grande do Sul. Eles abriram o jogo e contaram o que gostam e o que não gostam muito na profissão que escolheram. Vem ver!

Afinal, quem é o administrador na fila do pão?

Sabe aqueles dias que você tem tanta coisa para fazer que precisa pensar como vai ser cada minuto do seu tempo? Planejar e colocar no papel todas as tarefas, decidir o que dá para deixar para amanhã ou para semana que vem e ainda lidar com problemas inesperados? Essas tarefas que você faz, todo santo dia, são para administrar sua vida, certo?

E a “vida” de uma empresa, de um comércio, de uma escola, de uma prefeitura, quem é que gerencia? O responsável por isso é o profissional formado em Administração! É ele quem sabe de onde vem e para onde vai o dinheiro, quem precisa ser contratado, onde estão os problemas, que materiais e que fornecedores vão ser usados, e por aí vai.

 

Planejamento, gerenciamento e logística – 

 

Só que, na teoria, se usam outros termos (que você já deve ter ouvido falar, mas não sabia o que era): gerenciamento de processos, gestão financeira, de recursos humanos e de operações, planejamento, logística. É isso que se estuda na faculdade de Administração.

Ainda está achando o curso um pouco genérico? É porque ele é mesmo, viu? E essa versatilidade permite que o profissional atue em muitos campos depois de formado, mas também faz da Administração espaço para muita gente “indecisa”, que não sabe muito bem qual faculdade fazer.

Faça 1 curso e leve 7

No caso do Cirilo Vieira, que se formou na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 2009, poder trabalhar com diferentes ramos da Administração foi justamente o que o conquistou quando ele foi escolher a faculdade. “Na prática, o curso se mostrou bem flexível e amplo. Então, atingiu em cheio minha expectativa de conhecer vários temas relativos não só a empresas, mas a organizações, processos e pessoas”, diz ele.

 

Sempre me interessei bastante por matemática e história, ou seja, não tinha um perfil 100% de Exatas e nem 100% de Humanas. Este fato já eliminou vários cursos da minha lista”, conta.

 

Com 32 anos, Cirilo trabalha como gerente de contas comercial em uma grande empresa do setor petroquímico, em São Paulo. Ele percebeu que era isso que gostaria de fazer da vida ainda no Ensino Médio, quando montou uma “miniempresa” em uma ação no colégio. “Neste momento, ficou claro para mim que Administração seria o caminho a seguir.” Antes disso, Cirilo estava dividido entre Administração, Economia e Publicidade.

ConteudoEsse é o Cirilo. Ao lado, o local de trabalho dele, uma grande empresa do setor petroquímico, em São Paulo. Arquivo Pessoal.

A (nem tão) temida matemática

Se identificou com as dúvidas e certezas do Cirilo? Elas são muito comuns entre os estudantes que entram na Administração. Mas se você pensou em desistir do curso porque não gosta muito de números e cálculos, precisa conhecer a trajetória do Rafael Perez, que está cursando o 8º semestre de Administração, também na UFRGS.

 

Nunca gostei muito de matemática. Sou total Humanas”, informa ele, de cara.

 

Quer mais? O Rafael tem 22 anos e gerencia sua própria empresa há dois. “No início do curso, até tive um paradoxo pessoal, pensando se era realmente Administração o que eu queria. Mas percebi que a faculdade te dá a visão macro para depois fazer a especialização”, diz, completando que a parte da matemática “está longe de ser um bicho de sete cabeças” (sim, pode suspirar de alívio!). “Na verdade, o curso é fácil, bem tranquilo. Mas é 80% teoria”, avisa ele, falando sobre sua experiência na UFRGS.

Ao entrar na faculdade, Rafael nem pensava em abrir um negócio, mas também não se via administrando outras empresas. “Eu queria ir para o Marketing e tinha muito forte a questão de trabalhar com pessoas. Como estudei em escola pública e privada, aprendi a ter empatia e a me adaptar facilmente. Acho que essa adaptação tem tudo a ver com Administração.”

Conteudo2Rafael trabalhando na sua empresa e durante uma aula na faculdade. Arquivo pessoal.

Minha empresa x empresa dos outros

Antes de abrir a sua empresa, Rafael precisou correr atrás, porque viu que a prática do empreendedorismo ainda não é um foco na faculdade. “A pessoa não sai com um potencial de liderar e empreender. Na UFRGS, temos só uma cadeira obrigatória de empreendedorismo, e sequer temos incubadora. É muito pouco. Hoje o curso em geral é focado para criar analistas de empresas”, diz ele.

Essa é justamente a área do Cirilo, que também fez UFRGS, lembra? Ele dá uma dica sobre esse lance: “É importante conhecer bem a universidade que você quer cursar. Existem diferentes correntes dentro da Administração, principalmente entre teoria organizacional e prática empreendedora”.

Bons estágios, bons salários

E como fica o salário diante de tantas áreas para atuar? Onde dá para ganhar mais? Segundo o Cirilo e o Rafael, vai depender muito da especialização que o profissional buscou. “É difícil dizer que exista um salário médio. O que posso dizer é que o mercado é bastante competitivo, temos que manter nossa formação afiada, ter Inglês avançado ou fluente e buscar o espaço que se adeque ao nosso perfil”, diz Cirilo.

 

Buscar especializações, além da formação, podem fazer a diferença – 

 

Já dá para ganhar um bom dinheiro inclusive dentro da faculdade, com estágios e trainees. “Conheço quem ganha R$ 2 mil por um estágio em um banco, por exemplo”, conta Rafael.

Na Administração, os trainees são bastante utilizados como porta de entrada para grandes empresas. Foi assim que o Cirilo conseguiu o emprego dele 🙂

Dicas, para que te quero!

Confere aí algumas dicas dos nossos entrevistados:

  • Observar as diferenças entre universidades públicas e privadas. As particulares costumam ter mais conexões academia-mercado, enquanto as federais podem proporcionar um ambiente com mais escolhas em relação à formação acadêmica em geral;
  • Participar de uma empresa júnior logo no início do curso: elas são estruturadas pelos próprios estudantes, e vão te mostrar na prática as responsabilidades que você vai enfrentar no mercado mais tarde;
  • Fazer um intercâmbio, se possível (se esse também é o seu sonho, dá uma olhada na Série Intercâmbios pra conhecer as experiências de outros estudantes!);
  • Focar em uma área que queira seguir, encontrar um bom estágio e traçar um plano de ação: se este campo exige Espanhol fluente, por exemplo, vá atrás disso logo;
  • Não depositar muita expectativa de que as empresas são todas inovadoras e diferentes: você vai ter que sentar numa cadeira e trabalhar em escritório, não adianta;
  • Não ter medo de mudar: se entrou na Administração porque não sabia o que fazer e não se encontrou nos primeiros semestres, dê um passo atrás e procure outro curso.

E aí, curtiu? A conversa com o Cirilo e com o Rafael te ajudou a entender o que se faz na faculdade e na profissão de administrador (a)? Esperamos que sim! Se você tiver alguma dúvida, pergunta pra gente! Até a próxima!