Escolher qual curso superior fazer é uma das tarefas mais complexas da vida. Além de pensar no que você gosta, você também precisa levar em conta as suas habilidades, a opinião dos seus amigos, a expectativa dos seus pais e outros mil fatores diferentes.

E pra deixar tudo um pouquinho mais tenso, as escolhas profissionais são sempre as que parecem mais definitivas: uma decisão de hoje que vai ecoar em todos os próximos dias.

 

Calma! A coisa não é tão assustadora assim, a gente promete. – 

 

A gente trouxe 5 dicas que vão ajudar você a decidir com confiança e perceber que o futuro é bem menos assustador do que parece!

1. Explore a profissão com gente da área

Essa é a regra mais básica de todas: se você quer saber como é, pergunte pra quem já fez. Busque profissionais das áreas que você cogita e pergunte tudo o que conseguir imaginar. Pense na importância dessas informações e não tenha vergonha: com jeitinho, toda pergunta pode ser feita.

 

Outro jeito ótimo de explorar, é tentar passar um dia acompanhando a rotina dessas pessoas no seu local de trabalho. – 

 

Conhecer o dia-a-dia da profissão é essencial para perceber se ela combina com você, ou não.

2. Permita-se ter várias opções

Ter certeza de qual curso deve fazer é ótimo, mas uma certeza exagerada pode indicar que você está idealizando a profissão. Isso é perfeitamente normal, mas aumenta o risco de você se frustrar profundamente depois.

Pra mudar isso, faça um exercício de autoconhecimento: liste todas as suas qualidades e descreva um pouco da sua personalidade numa folha de papel. Depois, dê uma boa olhada e você vai perceber:

 

Seu perfil se encaixa em várias profissões, e não só naquela que parecia perfeita. – 

 

Ter dúvidas é normal e reforça uma verdade inegável: você não é destinado geneticamente a seguir uma profissão, mas sim possuidor de um conjunto variado de habilidades que servem para várias carreiras.

3. Faça testes vocacionais, mas não os leve como uma sentença

Na hora de escolher uma profissão ou um curso, é fácil cair na tentação de ver o teste como um objeto mágico que revela o futuro perfeito pra você.

 

No entanto, um teste vocacional não é um instrumento muito preciso: o que ele faz é ajudar você a filtrar um infinito de opções em um grupo um pouco menor. – 

 

Por isso, não espere que um teste ajude você a decidir entre Engenharia Metalúrgica e Engenharia Mecânica. Mas, se você está em dúvida entre Farmácia, Artes Cênicas e Geologia (ou se você não tem nenhum ideia), um teste pode ser uma grande ajuda.

4. Converse abertamente com a sua família sobre o assunto

Mesmo que a sua mãe diga que apoia você em qualquer decisão, você sabe: ela tem alguma expectativa sobre o que você vai escolher, mesmo que fique escondida.

 

Se a expectativa não está nada oculta, ter uma conversa sincera com seus pais é ainda mais importante. – 

 

Se falta coragem pra você ter essa conversa, vale a pena fazer uma pequena preparação. Faça a técnica de relaxamento do nosso outro post e escreva um pequeno roteiro do que você quer dizer, de um jeito bem claro e objetivo. Assim, você não deixa a emoção tomar conta e pode falar tudo o que pensa.

5. Procure um orientador profissional

Escolher uma profissão continua sendo uma tarefa complexa mesmo que você siga todas essas dicas. Por isso, vale a pena procurar ajuda profissional com um psicólogo ou um coach. Com atendimento individual, fica mais fácil explorar as possibilidades para assumir coragem e confiança pra tomar essa decisão.

textoFoto: unsplash.com.

Ficou com alguma dúvida, testou alguma técnica ou quer contar a história da sua escolha pra gente? Deixe um comentário aqui embaixo! 🙂

*Este post é uma parceria entre o Me Salva! e a Organiza!, empresa júnior do Instituto de Psicologia da UFRGS. A Organiza! transforma o conhecimento abstrato da Psicologia em utilidade prática para todos, através de palestras, workshops e intervenções inteligentes.