Um dos maiores desafios do estudante de Ensino Médio ou de pré-vestibular é escolher que curso fazer. Pode parecer um pouco assustador tomar uma decisão tão importante com menos de 18 anos, ainda no colégio (ou recém formado) e tendo que conviver com a expectativa da família.

Apesar de parecer contraditório (e sim, nós sabemos que é mais fácil falar do que fazer), a calma é muito importante nessas horas. E, além da tranquilidade, procurar ajuda de quem entende do assunto costuma ser uma boa escolha.

Mas, nesse post, não vamos fazer um teste vocacional. Nós queremos te ajudar a saber qual a melhor forma de descobrir qual curso fazer ou qual profissão escolher. Assim, vamos falar como funcionam esses testes e suas utilidades, além de explicar a diferença de teste e orientação vocacional.

via GIPHY

Como funcionam os Testes Vocacionais

Os testes vocacionais podem ser bem úteis para que você descubra quais as áreas você tem mais afinidade – como ciências humanas, da natureza, exatas, da saúde, etc – ou seja, quais são suas maiores habilidades e gostos. Normalmente, são questionários, com respostas objetivas, bem divididas e que precisam ter um objetivo final claro.

Um dos principais pontos positivos é que testes vocacionais são facilmente encontrados, com várias opções gratuitas – mas, lembre-se de sempre analisar algumas coisas, por exemplo: quanto mais abrangentes forem as questões e as respostas, mais difícil que o resultado final seja adequado a você. Outro ponto que sempre deve ser cuidado é a fonte, ou seja, quem fez o teste – sempre é bom checar se o autor é alguém com algum prestígio ou reconhecimento na área. No nosso aplicativo, o Orienta, os testes são divididos em:

  • O ENEM 2017 já se foi, e agora?
  • Qual a sua personalidade?
  • O que te inspira?
  • Fazer (curso) técnico ou superior?
  • Universidade pública ou privada?
  • Me adaptaria a um curso EAD?
  • Morar fora?
  • Que idioma você deve aprender?

Entretanto, por terem um formato menos flexível, terminam sendo mais limitados no aspecto psicológico. É difícil concluir, somente com um questionário, o que o estudante vê como realização pessoal e o que deseja para sua carreira. Além disso, a dificuldade em analisar as mudanças e a atual situação do mercado de trabalho costuma ser grande. E qual a solução para esses problemas?

que é Orientação Vocacional

via GIPHY

Diferentemente dos testes, a Orientação Vocacional (ou profissional) é mais longo, custoso – já que demanda ajuda profissional – e, consequentemente, menos acessível. É, porém, mais completo. O processo não tem como objetivo, simplesmente, te indicar qual curso ou profissão, mas, com o auxílio de um psicólogo, te ajudar a se descobrir e levá-lo para o rumo certo, ou apenas confirmar se você já está nele.

A orientação vai desde qual profissão escolher, levando em consideração quais são seus interesses profissionais, estudos sobre o mercado de trabalho e oportunidades de emprego, indo até a adaptação à aposentadoria. Todo esse aconselhamento pode ser muito importante nessas transições de uma fase educativa para outra.

O processo de orientação costuma ser dividido em 5 etapas:

  • entrevista para analisar a educação do estudante até o momento;
  • uma pesquisa sobre profissões, mercado de trabalho, tendências e etc.;
  • um teste vocacional;
  • teste de personalidade;
  • e uma entrevista final.