“Será que vou conseguir passar? Acho que não estudei o bastante! Todos aqui parecem saber mais que eu!”. Ih, pintou aquela inquietação antes do vestibular? Quem nunca, não é? Mas não se desespere: estamos aqui pra te salvar! 👊

Nesse episódio do Divã do Me Salva!, vamos trazer a história de uma estudante que sofre com a insegurança na hora da prova, o conselho amigo da nossa profe Sophie e a visão da especialista Cláudia pra desmistificar esse momento tão cheio de pressões. Confere aí!

Experiência, você vê por aqui

A estudante desse relato preferiu não se identificar, então, vamos chamá-la de Bia. O objetivo da Bia é entrar na faculdade de Medicina. “Depois de cinco anos de cursinho, resolvi me mudar para o interior, para a casa de campo dos meus pais, onde é mais tranquilo pra estudar.”

A rotina de estudos da paulista de 23 anos, que mora sozinha, é pesada: ela acorda às 4h da manhã e estuda até às 20h 😯! “Como eu não gosto muito de estudar à noite, começo a jornada cedo. Estou aqui no isolamento e às vezes sou um pouco criticada por essa rotina.”

Fonte: www.nyheter24.se

Esse é um momento em que todo estudante está surtando, então, qualquer dica é bem-vinda.”

 

Utilizando três plataformas de ensino pra se preparar, Bia explica sua escolha: “O ENEM é a minha chance, estou apostando muito nisso”. Ela conta que o formato das aulas do Me Salva! ajuda nos estudos: “As aulas são curtas e objetivas e isso é bem o que eu buscava.”

A maior dificuldade da Bia está nas Ciências Exatas. “Na Matemática, você tem que ser rápido, senão o nervoso toma conta. Eu fiz um simulado presencial recentemente e as questões não eram difíceis, mas eu fiquei um tempão travada, não estava conseguindo. No fim da prova, voltei nelas e era super simples, tive a sacada e fui direto ao ponto.”

E na hora da prova, como é?


Fonte: https://giphy.com

“O início da prova é muito ruim, só quero que passe logo. O problema é começar, depois a coisa engrena. Às vezes dá um branco e tenho medo de errar coisas que eu sei, de matérias que eu domino. Isso me desestabiliza um pouco na hora, mas acho que já me acostumei com a parte de fazer o vestibular. Tenho ficado mais calma e vamos ver como vai ser esse ano.”

Fala, profe!

A Sophie Maillard von Eye, profe de Biologia do Me Salva!, aconselha que conversar com outras pessoas pode ajudar bastante. “Muitas vezes, nossa insegurança é compartilhada. Por outro lado, algo que traz insegurança para outro pode não trazer para nós. Identificar o que nos deixa inseguro é um grande passo para encarar e resolver!”

 

Ter 100% de certeza em tudo nos torna pessoas estáticas.”

 

Para a professora, a insegurança aparece em vários momentos da vida e nem sempre é algo ruim, pois nos faz questionar. “Quando fiz a inscrição no vestibular, estava insegura sobre qual curso escolher. Acabei optando por Engenharia de Aquicultura, um curso pouco conhecido. Depois de dois anos, a insegurança em relação a ‘será que é isso mesmo que eu quero?’ voltou.”

A Sophie conta que poderia simplesmente ignorar aquele sentimento e se formar, mas tomou a decisão de “encarar” essa insegurança. “Tranquei o curso na federal e decidi que ia fazer Biologa. ‘Tá maluca!’, ouvi muitas vezes. Estudei, passei, me formei e hoje percebo que a insegurança que apareceu lá no comecinho me fez parar pra pensar.”

 

Uma coisa é certa: nada é estático. Serão muitas as inseguranças na vida.”

 

E como lidar com a insegurança? “Não sei! Se descobrirem, por favor, me contem. O importante é encarar esse momento. Pare, respire e avalie de onde vem essa insegurança e se ela realmente existe, ao invés de só aceitar aquela situação. “A insegurança de hoje, se analisada e trabalhada, pode levar a escolhas mais satisfatórias e tornar você uma pessoa mais segura de si.


Fonte: http://giphy.com

Palavra de especialista

A psicóloga do Núcleo de Apoio ao Estudante (NAE) e do Serviço de Orientação Profissional (SOP), ambos órgãos da UFRGS, Cláudia Sampaio Corrêa da Silva, diz que é natural se sentir inseguro frente a momentos importantes que representam uma transição, mas lembra: “Essa não é a sua primeira prova e nem será a última”.

De acordo com a especialista, a melhor garantia é o preparo. “A segurança vem com um programa de estudos bem organizado e executado. Depois que você definiu seu projeto de vida, fica mais fácil estipular uma estratégia, de acordo com o seu perfil.”

Outra dica da Cláudia pra contornar a insegurança é que você não fique obcecado pensando que não vai passar. “Muitos estudantes, no dia da prova, ficam até analisando quem tem ‘cara de inteligente’ e pode ir melhor no exame, como se isso fosse possível de se analisar. Faça o seu melhor. Você estudou, se preparou, então, conte com isso.”

 

Uma terapia pode ajudar, e muito.”

 

A psicóloga também faz um alerta para casos em que a situação sai do controle. “Esse momento representa uma transição que vem cheia de pressões, mas, se você se preparou, não há o que temer. Agora, se o nervosismo e a ansiedade ultrapassarem limites, chegando a causar problemas mais sérios, você deve sim procurar acompanhamento de um profissional.”

Dando a volta por cima!

Dá uma olhada nas dicas da Bia pra lidar com a insegurança:

  • Se exercitar. “Tenho feito caminhadas todos os dias pra me acalmar e às vezes também pratico algum exercício local mais pesado.”;
  • Aproveitar tudo. “Você passou o ano estudando e está preparado. Tire proveito de tudo que você viveu e aprendeu.”;
  • Ser positivo. “Você se esforçou, cresceu e, a cada ano que passa, vai superando cada vez mais.”

 

Pensar assim vai te ajudar a ficar mais seguro.”

 


Fonte: http://giphy.com

Se identificou com as angústias da Bia? Compartilha com a gente! O que você mais teme antes da prova? Conheça a história da Cheila em mais um Divã do Me Salva! e até a próxima 😉