Sabia que uma das formas de zerar a redação do ENEM é desrespeitando os direitos humanos? Isso significa que pontos de vista preconceituosos, agressivos e debochados não passarão (literalmente).

 

Preconceito não é opinião, é preconceito. –

 

Na democracia, a melhor forma de desconstruir pensamentos racistas, machistas, homofóbicos (e por aí vai…) é se informando e com informação da boa.

 

– Quer escrever bem? Democratize, problematize, desconstrua preconceitos e aposte na diversidade! –

 

Nesse Pra Ler, Ver e Ouvir, aqui no Conexão Cultural, você vai encontrar dicas para levar mais diversidade para a redação – e para a vida. Quando você desconstrói seus preconceitos (reflete sobre eles) o prêmio pode ser muito maior do que um mil!

 

Pra Ler > Eliane Brum no El País

Retratando os “Brasis” (como ela mesma gosta de chamar porque, afinal de contas, não existe só um), Eliane Brum escreve sobre atualidades, política e questões sociais duas vezes por mês no jornal El País Brasil.

As crônicas da jornalista, escritora e documentarista vão da Usina de Belo Monte ao machismo, dos moradores de rua ao impeachment. A gaúcha tem, ainda, seis livros publicados. Em um deles, “A vida que ninguém vê”, conta histórias inusitadas de pessoas anônimas.

 

É uma coluna para ajudar a pensar.

 

elianeEscolha uma crônica por semana e leia! Converse com os textos de Eliane Brum, pense com ela. Divulgação.

 

Pra Ver > Canal das Bee

Respeitar e contemplar a diversidade é o princípio básico de uma escrita qualificada. E é isso que faz o Canal das Bee, sucesso há quase quatro anos são mais de 250 mil seguidores!

O canal combate a homofobia e outros preconceitos com informação. São vídeos contra a transfobia, a bifobia, a lesbofobia e o machismo.

 

Um canal que discute e desconstrói os padrões da nossa sociedade.

 

Quer saber como o Canal das Bee começou? Então confere aqui embaixo! 👇

 

Pra Ouvir > Negro Drama

“Cabelo crespo, e a pele escura, a ferida, a chaga, a procura da cura”. A música do Racionais MC’s, o grupo de rap mais importante do Brasil nos anos 90, é uma aula de história!

 

Você deve tá pensando,

O que você tem a ver com isso?

Desde o início,

Por ouro e prata,

Olha quem morre,

Então veja você quem mata,

Recebe o mérito, a farda,

Que pratica o mal,

Me ver pobre, preso ou morto,

Já é cultural.”

 

Quer entender (um pouco) a situação dos negros e das negras no Brasil? Quer pensar sobre a ~herança~ que o sistema escravocrata deixou para uma grande parcela da população brasileira? Entre o sucesso e a lama: negro drama!

Sente a batida e te liga na crítica! 👇

E aí, curtiu as nossas dicas? Então desconstrua seus preconceitos e venha curtir as diferenças com a gente! Te liga, no próximo Pra Ler, Ver e Ouvir tem mais passos pra ficar afiado na escrita. 😉