Você já pensou o quanto as suas referências podem te ajudar a escrever melhor? O que você lê, ouve e vê pode oferecer muita inspiração, não apenas em relação ao conteúdo, mas à forma como você escreve.

Nesse post da série Pra Ler, Ver e Ouvir da Conexão Cultural, vamos dar sugestões pra você ir além, sair do senso comum e realizar coisas que podem ajudar a mandar bem na hora da redação. Partiu!

Pra Ler > Poemas de Manoel de Barros

Manoel de Barros foi um dos grandes poetas brasileiros do século XX. Cronologicamente, ele pertenceu à Geração de 45, mas, formalmente, se vinculou ao pós-Modernismo brasileiro, se aproximando das vanguardas europeias, da Poesia Pau-Brasil e da Antropofagia de Oswald de Andrade.

O poeta criou um universo próprio. Subvertendo a sintaxe, seus poemas não respeitavam as normas da língua padrão, e foi inclusive comparado a Guimarães Rosa.

 

– A invenção da poesia no trabalho de Manoel de Barros está muito próxima da invenção da criança. Isso mostra que escrever não é questão de “genialidade”, mas de uso e brincadeira com as palavras. – 

 

Leia alguns trechos de poemas de Manoel Barros aqui.

Manoel de Barros foi um dos grandes nomes da poesia brasileira. Revista Cult.

Pra ver > Sonhos – Akira Kurosawa

Lançado em 1990, o filme Sonhos, de Akira Kurosawa, é baseado em sonhos verdadeiros do cineasta durante diferentes momentos de sua vida. Kurosawa foi um dos cineastas japoneses mais importantes. Seus filmes influenciam diretores do mundo todo.

Dividido em 8 histórias, destaca-se o quinto conto do filme. Nesse trecho, durante uma visita a um museu, um estudante de Artes descobre-se dentro do vibrante – e por vezes caótico – mundo das pinturas de Vincent Van Gogh.

A Arte está aí para muito mais do que apreciação estética; podemos vivê-la, passear por ela, assim como o personagem do filme de Kurosawa.

 

– A Arte pode ser tudo aquilo que transforma nosso modo de ver o mundo e de nos expressarmos sobre o que sentimos, inclusive na escrita. – 

 

Sonhos, de Akira Kurosawa, vai te permitir viajar dentro das vibrantes pinturas de Vincent Van Gogh. Youtube.

Pra ouvir > Pink Floyd – Dark Side of the Moon

The Dark Side of the Moon é o oitavo álbum de estúdio da banda britânica de rock progressivo Pink Floyd, lançado em março de 1973. O disco marca uma nova fase no som da banda, com letras mais pessoais e com uso de instrumentos e efeitos sonoros vanguardistas para a época.

 

Um dos exemplos é a gravação de alguém correndo em volta de um microfone e o uso do som de múltiplos relógios despertando ao mesmo tempo. – 

 

Cada música desse álbum traz uma crítica e, com certeza, elas podem te inspirar na escrita. Dê o play e continue a escrever. Insights vão surgir!

Lançado há mais de 40 anos, The Dark Side of the Moon continua deixando de queixo caído quem escuta. Youtube.

Depois de tudo isso, não tem como não se inspirar para escrever e ir além do óbvio. Quer se inspirar ainda mais? Não perde os outros posts da série Pra Ler, Ver e Ouvir lá na Conexão Cultural. Até a próxima! 😉