Quer conhecer os pontos turísticos de Cuiabá? Pois saiba que, além de um bom passeio, eles reservam muito conhecimento. Tá liberado dar um tempinho nas fórmulas e mapas e conferir mais dicas aqui na Conexão Cultural! 😉

Há cerca de 100 quilômetros do Pantanal, a capital do Mato Grosso é cheinha de lugares interessantes para conhecer e ver na prática o que você aprende na teoria. Pé na rua e bora se informar!

1Vista da cidade de Cuiabá. Foto: Prefeitura/Divulgação.

No S2 da América do Sul

Como diz Caetano Veloso, um índio vai descer “num ponto equidistante entre o Atlântico e o Pacífico”. Esse ponto é o Centro Geodésico da América do Sul, nas coordenadas 15°35’56”,80 de latitude sul e 56°06’05”,55 de longitude oeste, pra ser bem exato.

3Centro Geodésico. Foto: Prefeitura/Divulgação.

O Centro fica na praça Pascoal Moreira Cabral, que leva o nome de um dos bandeirantes que fundou a cidade. – 

 

Antigamente a praça era conhecida como Campo d’Ourique, um lugar onde os negros escravizados eram castigados e onde eram realizadas as cavalhadas e touradas.

No local funciona agora a Câmara Municipal de Cuiabá e também uma das feiras de artesanato da cidade, a Feira Cultural Campo d’Ourique. A feirinha é uma boa oportunidade para conhecer a arte e a cultura regional, além de provar as comidas da culinária cuiabana, como maria-izabel, farofa de banana, sarapatel… (Hummm!).

História em imagens

Em Cuiabá podemos encontrar muitos museus, desde os que valorizam a cultura regional, até os que destacam a arqueologia e a diversidade ambiental da região.

Quem se liga em fotografia vai curtir visitar o acervo da Casa Barão de Melgaço. Ali pertinho do Centro Geodésico você encontra a casa onde viveu o intelectual Auguste Leverger, que foi presidente da Província de Mato Grosso por cinco vezes e atuou na Guerra do Paraguai, o que lhe rendeu o título de Barão de Melgaço.

 

No acervo, podem ser vistas imagens documentais da história da cidade, jornais e fotografias de famílias tradicionais de Cuiabá. – 

 

Dos arquivos das famílias, também são expostos livros, revistas, papéis avulsos, móveis e objetos. Além disso, o espaço conta com uma biblioteca para consultas.

Cerrado de pertinho

As histórias da capital mato-grossense está por todos os lados. Até nos parques, como no Parque Estadual Mãe Bonifácia.

O nome homenageia uma curandeira, escrava conhecida por Mãe Bonifácia. Além do curandeirismo, Mãe Bonifácia era quilombola e controlava o acesso à área que hoje abriga cinco trilhas para caminhadas.

2Parque Mãe Bonifácia era um quilombo antigamente. Foto: Prefeitura/Divulgação.

No parque podem ser observadas plantas típicas do cerrado e alguns animais, há observatórios e também espaço de sobra para esticar as canelas e ler um bom livro!

Se liga na Agenda!

Na rua

  • O que: Centro Geodésico
  • Quando: todos os dias
  • Onde: R. Barão de Melgaço, 2902 – Centro
  • $$: gratuito
  • Mais info
  • O que: Feira Cultural Campo d’Ourique
  • Quando: terças, das 18h às 21h
  • Onde: R. Barão de Melgaço, 2902 – Centro
  • $$: gratuito
  • Mais info

Museu

  • O que: Casa Barão de Melgaço
  • Quando: segunda a sexta, das 9h30 às 17h
  • Onde: R. Barão de Melgaço, 3869 – Centro
  • Mais info
  • O que: Aquário Municipal
  • Quando: terça a domingo, das 9h às 18h
  • Onde:  Av. Beira Rio, S/N – Porto
  • $$: 1 (um real)
  • Mais info

Ao ar livre

  • O que: Parque Estadual Mãe Bonifacia
  • Quando: todos os dias, das 6h às 19h
  • Onde: Av. Miguel Sutil, S/N – Duque de Caxias
  • $$: Gratuito
  • Mais info

Teatro, shows e festivais

  • O que: Teatro Universitário UFMT
  • Quando: Segundas e Sextas, das 8h às 18h; Sábados e Domingos, das 18h às 22h
  • Onde: Av. Fernando Correia da Costa S/N
  • $$: Consultar espetáculo
  • Mais info

Aproveite para aprender História, Geografia, Biologia, Química, Matemática… fora da sala de aula também! As cidades são livros abertos 😉 Até o próximo post!