capa

Passar no vestibular saindo direto do colégio é um daqueles sonhos que todo mundo alimenta, não é? Se for em uma universidade federal, então, seus pais até choram de emoção.


Giphy.com

Esse foi o caso do Igor Oliveira, que conquistou ainda durante o Ensino Médio a tão esperada vaga em Medicina na Universidade Federal de Goiás (UFG) no Sisu de 2017!

Nós batemos um papo com ele para saber quais foram seus passos no caminho até a aprovação em Medicina. E conseguimos altas dicas! Quer ver? Então, bora!

Iniciando os estudos

O Igor, que é natural de Goiânia, nem esperou chegar o fim do colégio para iniciar o “projeto Medicina”. Ele estudou o Ensino Médio Técnico Integrado em Eletrônica no Instituto Federal de Goiás, um curso com duração de quatro anos. Porém, logo no fim do terceiro ano, a aprovação no sonhado curso chegou! Como tem 18 anos e alcançou a nota mínima no Enem, ele conseguiu o certificado de conclusão do Ensino Médio e poderá cursar Medicina em 2017!

“Desde o primeiro ano tentava passar em Medicina pelo SiSU, mas só passava em Engenharia”, conta. Como treineiro, ele foi aprovado em Engenharia de Minas na UFG no primeiro ano e em Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no segundo ano.

Minha nota não era suficiente para Medicina e sabia que deveria estudar mais para ser aprovado. O curso de Medicina exige uma preparação intensa com muito foco e dedicação.”

 

Na real, Igor entendeu cedo o primeiro passo para conquistar a aprovação em Medicina: reconhecer que esse era um processo difícil e que exige um alto desempenho nos exames. “Tendo isso em mente, organizei um plano de estudos que compreendia grande parte do meu tempo livre. Estudava no IFG de manhã. À tarde e à noite, estudava sozinho com aulas em vídeo e exercícios na internet. No total, eram 7 horas de estudo específico, das 14h às 23h, com 2 horas de pausa para lanche e jantar”, conta ele, que não chegou a fazer cursinhos presenciais e estudou especificamente para o Enem apenas no último ano.

1 Esse é o Igor! Arquivo pessoal.

Equilíbrio entre as matérias

O Igor ia muito bem em matérias como Biologia, Física, Química e Matemática. Mas quando chegava nas Humanas, a coisa complicava: ele tinha dificuldades em Redação, História e Filosofia. Como superar isso? “História e Filosofia possuem uma abordagem mais contextualizada no Enem, então, acredito ser importante um estudo também contextualizado”, conta.

 

Participava de debates e discussões no colégio, além de ver filmes e séries relacionadas a cada contexto histórico. Assim, consegui melhorar meu desempenho nessas áreas, já que não conseguia aprender História e Filosofia pelo método expositivo tradicional.” 

 

Para melhorar a Redação, Igor começou a ler textos anteriores com nota 1000. “Percebi que as melhores redações seguiam um ‘modelo’ lógico de ordenamento das ideias, técnica que pude aplicar nas minhas produções. Além disso, é importante praticar bastante”, aconselha.

Nesse post você pode conferir dez dicas para escrever cada vez melhor! 😉

2O Igor nos mandou uma foto da sua área de estudos, olha quanto post-it! Arquivo pessoal.

Descobrindo o Me Salva!

As aulas do Me Salva! começaram a salvar o Igor ainda no primeiro ano do Ensino Médio. Como ele cursava Técnico em Eletrônica, buscou na internet vídeos focados na área das Exatas e nos encontrou. <3

 

No primeiro ano do curso, tínhamos uma disciplina chamada ‘Eletricidade I’. Usava as aulas de circuitos do Me Salva! para aprender o conteúdo do meu curso. Descobri a plataforma pelo YouTube e logo me encantei com o método de ensino objetivo e prático”, conta.

 

Rotina e métodos de estudo

O método de estudos que deu certo para o Igor nesta jornada foi o Pomodoro. “Estudava 25 minutos, descansava 5 minutos. Depois de quatro ciclos de estudo, descansava 15 minutos. É um excelente método, pois evita o cansaço”, explica. 

Além disso, o goiano também evitava estudar uma única matéria por muito tempo, para não deixar o cansaço bater: “Como tinha 7 horas de estudo individual, dividia 4 horas para estudo teórico e 3 horas para exercícios, sendo duas matérias por dia (2 horas de teoria e 1 hora e meia de exercícios para cada). Também é importante alternar entre áreas diferentes: se começar estudando Matemática, depois estude História, por exemplo”. Se você também quiser tentar a técnica do estudo intervalado, confere este post!

 

A rotina do Igor era basicamente a seguinte: “De segunda a sexta estudava o conteúdo regular. Sábado de manhã fazia revisão do que tinha estudado. À tarde, fazia simulado com uma redação. Sábado à noite e domingo eram para descanso”. –

 

Relaxar também é preciso!

Estudar para passar em Medicina exige bastante dos estudantes, é fato! Por isso, não dá para se crucificar quando a mente pede um break: é fundamental aproveitar momentos de folga e diversão!

O Igor, que não é muito de sair, usava os períodos de descanso para ver vídeos no YouTube, séries e filmes no Netflix e estudar programação. “Fazia tais atividades no domingo. É importante sempre reservar um tempo para fazer coisas que te agradam fora da rotina de estudos, que pode ser dividido em frações ao longo da semana, ou em um dia inteiro, como eu fazia”, conta.

Dormir, comer, estudar

Com uma rotina de estudos bem intensa, o Igor dormia cerca de 6 horas e meia por dia. Segundo ele, era o que bastava para descansar. “A quantidade depende da cada pessoa, mas sempre durma o suficiente para que não fique com sono ao longo do dia”, ensina.
Quer saber 8 maneiras de espantar o sono na hora de estudar? Contamos neste post. \o/

Já a alimentação, ele assume, era péssima. “Mas tentei mudar ao longo do ano e consegui melhorar bastante. Comia muitas frituras e alimentos industrializados, que afetavam bastante na minha disposição para os estudos.”

 

Como um bom futuro médico, quase que treinando suas “consultas”, Igor recomenda: “Nosso corpo é um grande aglomerado de moléculas orgânicas que dependem da sua nutrição para executar seu processo fisiológico. Não comer bem significa não ter um bom desempenho. Divida sua alimentação em pequenas porções e coma frutas para repor a energia”. –

 


Oferecimento de Grey’s Anatomy. Giphy.com

Dicas práticas e objetivas

Pedimos ao Igor que selecionasse, baseado em sua experiência, três dicas fundamentais para quem quer conseguir a aprovação em Medicina. Vamos ver quais ele escolheu? 

1. Fazer muitos exercícios. Somente com exercícios é possível saber se domina o conteúdo. Eles servem não apenas para testar seus conhecimentos, mas, também, para aprimorá-lo. Fazia cerca de 40 exercícios para cada conteúdo. Os que errava, via o que errei e refazia. Nesse aspecto, o Me Salva! é excelente, pois as listas de exercícios são bastante abrangentes e grandes.”

2. Fazer simulados anteriores toda semana. Muitas pessoas fazem simulados mensais. Contudo, eu recomendo fatiá-los no intuito de que, em cada semana, você faça uma parte do que já foi cobrado. Os simulados servem para fixar o conteúdo e funcionam como uma revisão cumulativa do que você já aprendeu. Sempre corrija e tente refazer o que errou.”

3. Valorizar a redação. Por mais que ela não tivesse um grande peso no SiSU para a UFG, é possível tirar notas muito altas na redação, mais que nas outras matérias. Assim, um bom desempenho nessa prova representa uma valorização expressiva da nota final. É clichê pedir para valorizar a redação, mas é importante! Sempre negligenciei a produção textual. Hoje vejo que é importante!”

E aí? Curtiu as dicas do Igor? Queremos que você se inspire e também consiga conquistar a sua vaga em Medicina! Confira o nosso plano de estudos focado para quem está se preparando para Medicina e bora mandar bem no Enem!