Com certeza você já ouviu falar do Enem, mas será que você sabe tudo sobre ele? Produzimos o Guia do Enem pra te dar aquela força e não restar mais nenhuma dúvida! 👊 Vem com a gente conhecer um pouco mais sobre o exame nacional que é superimportante pra você ingressar na faculdade, obter bolsas e financiamento estudantil, além de ajudar o país a medir e qualificar o conhecimento dos seus estudantes.

Afinal de contas, o que é o ENEM?

O ENEM Exame Nacional do Ensino Médio é uma prova aplicada anualmente pelo MEC (Ministério da Educação), por meio do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Ele surgiu em 1998 com o objetivo de medir o desempenho escolar e acadêmico de estudantes no final do ensino médio.

 

O exame é composto de 180 questões, divididos em 4 provas e uma redação. – 

 

textoFoto: Beatriz Pérez Moya – Unsplash.com

Como são as provas?

O Enem é composto por quatro provas objetivas, com 45 questões (de múltipla escolha) cada, e uma redação.

Áreas de Conhecimento Componentes Curriculares
Ciências Humanas e suas Tecnologias História, Geografia, Filosofia e Sociologia
Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química, Física e Biologia
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação
Matemática e suas Tecnologias Matemática

Quando acontece?

No segundo semestre e é realizado em dois dias consecutivos, que variam de acordo com o ano. 

Confere os dias das provas em 2017 e quais as áreas de conhecimento que caem em cada dia:

5 de novembro de 2017 (domingo)

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Tempo para realização: 5 horas e 30 minutos.

12 de novembro de 2017 (domingo

  • Matemática e suas Tecnologias
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Tempo para realização: 4 horas e 30 minutos.

O que o ENEM possibilita?

Com um bom desempenho no ENEM é possível:

  1. Ser selecionado para bolsas parciais ou integrais (Prouni);
  2. Obter financiamento de graduação (Fies);
  3. Complementar ou substituir os vestibulares (Sisu);
  4. Ingresso em universidades portuguesas.

Como participar?

O candidato deve realizar a inscrição no ENEM, de acordo com o período indicado pelo Inep.

Todos devem pagar uma taxa de inscrição, com exceção dos estudantes que concluíram/concluirão o ensino médio em 2017 e estiverem matriculados em rede pública de ensino. É possível solicitar isenção de taxa se o estudante for membro de família de baixa renda ou estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Mudanças para 2017

Algumas mudanças correram para o Enem de 2017. A fim de diminuir os custos de aplicação da prova, o candidato que prestar o Enem mais de três vezes com isenção de taxa perderá o direito à gratuidade na quarta tentativa.   Também relacionado as isenções, perderá o direito a gratuidade nas próximas edições do exame o candidato que não comparecer para a realização das provas. Além disso, não haverá mais certificação do ensino médio e não será mais aceita a participação de “treineiros” – a galera do primeiro e segundo ano do Ensino Médio que quer se preparar, buscando conhecer a lógica do exame antes de fazer a prova pra valer.

Esse pacote de alterações no Enem busca também diminuir o índice de abstenção, que 2016 chegou a 30%, o mais alto dos últimos 7 anos.

 Leia também:

Edital ENEM 2017: o que mudou

Quem pode participar?

Estudantes que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. Se você já concluiu o ensino médio, já está no ensino superior ou até já concluiu a faculdade, pode fazer também. Não existe limite de idade para fazer a prova.

 

O Inep disponibiliza atendimento especializado e/ou específico para portadores de necessidades especiais, quando informado na hora da inscrição e com documentação comprobatória. – 

 

O atendimento especializado é oferecido a: pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual (mental), surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia ou com outra condição especial. O atendimento específico é oferecido a: gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar. 

Fez a inscrição e esqueceu alguma informação?

O cartão de confirmação de inscrição contém informações importantes. Você poderá acessá-lo na Página do Participante utilizando seu CPF e senha. Nele você encontra:

  • Número de inscrição;
  • Data, hora e local de realização das provas;
  • Indicação do(s) atendimento(s) especializado(s) e/ou do(s) atendimento(s) específico(s), devidamente solicitado(s) no ato da inscrição, quando for o caso;
  • Opção de língua estrangeira;

Como a nota é calculada?

O TRI (Teoria da Resposta ao Item) é a maneira utilizada para calcular, através de análises que envolvem psicologia, estatística e informática. São dados pesos diferentes para cada questão, elas podem ser fáceis, medianas ou difíceis, e o teste é feito de forma a equilibrar a quantidade de questões para cada dificuldade.

 

O modelo calcula a probabilidade de um candidato acertar a partir do conhecimento mínimo necessário para responder a questão e avalia o padrão de respostas do aluno na prova, para ter certeza de que ele não está acertando por acaso. – 

 

Sabemos que é complicado entender como funciona o cálculo das notas. Por isso, tentamos reunir alguns tópicos para explicar a TRI! Vamos por partes:

  1. A nota do Enem funciona como uma régua feita para medir o grau de conhecimento dos estudantes;
  2. O meio da régua marca o número 500, que corresponde à média de acertos dos estudantes do terceiro ano do Ensino Médio na prova de 2009;
  3. A régua é preenchida com intervalos de 100 pontos, tanto para mais quanto para menos, que são chamados de desvio-padrão;
  4. Cada área de conhecimento tem sua própria régua, já que o desempenho médio dos estudantes foi medido separadamente por área.

Como as questões são elaboradas?

  • As questões da prova são elaboradas com diferentes graus de dificuldade;
  • Cada uma ocupa um lugar naquela régua: algumas questões serão mais fáceis e ficam abaixo da média 500, outras são mais difíceis e ficam acima da média (600, 700, 800 pontos);
  • Se um estudante tem conhecimento na média em Matemática, é esperado que ele acerte as questões de 500 e erre as que estão acima dessa média.

Como o MEC define o nível de dificuldade de cada questão?

  • O MEC organiza um pré-teste, em que escolas de todo o Brasil participam;
  • Os estudantes respondem a questões que podem integrar o banco de dados do MEC;
  • Desse banco de dados saem as 180 questões que vão compor a prova do Enem;
  • A média que cada questão terá na prova (naquela mesma régua) depende do desempenho dos estudantes do pré-teste.

E a nota final do Exame?

  • A nota final do estudante no Enem leva em consideração a consistência das respostas;
  • Exemplo: um estudante pode acertar somente as questões com média 500, mas terá uma nota maior porque suas respostas são coerentes: ele é competente na média esperada;
  • Se um outro estudante acertou as questões de média 700, mas errou as de média 500, ele terá a nota reduzida por um cálculo de causalidade, pois o TRI entenderá o acerto nas questões mais difíceis como um chute, reduzindo o valor do item;
  • Se você quer saber mais sobre o TRI, pode ler a explicação do Inep sobre o assunto aqui.

 

A TRI leva em conta não só o número de acertos, mas também o padrão de respostas do estudante. Ou seja: dois participantes com o mesmo escore podem receber valores diferentes da TRI diferentes. O aluno que apresentar respostas de forma mais coerente será melhor avaliado. – 

 

E a nota Redação? Como funciona?

A redação é avaliada por dois corretores independentes, que atribuem uma pontuação que varia de 0 a 1000, seguindo as 5 competências do ENEM. Somam-se as notas de cada um e divide-se por cinco, obtendo-se a média.

A nota final é a média aritmética das duas notas obtidas. No caso de haver desacordo entre os corretores em suas notas totais por mais de 100 (cem) pontos ou se a diferença de suas notas em qualquer uma das competências for superior a 80 (oitenta) pontos, haverá outra correção por um professor supervisor.

Sua redação vai receber zero se:

  • Não atender à proposta solicitada ou possuir outra estrutura textual que não seja a estrutura dissertativo-argumentativa;
  • Não apresentar texto escrito na Folha de Redação;
  • Apresentar apenas 7 linhas, qualquer que seja o conteúdo;
  • Apresentar impropérios (utilizar palavrões, insultos, ofensas, ser desrespeitoso), desenhos, ou escrever algo que desrespeite os direitos humanos;
  • Apresentar parte do texto desconectada  do tema proposto;
  • Além disso, linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no Caderno de Questões serão desconsideradas na correção e de contagem do mínimo de linhas.

Nos dias das provas, lembre-se:

  • Verifique com antecedência, na Página do Participante, a validação da inscrição e o local de realização das provas;
  • Não se esquece de que você precisa chegar até às 12h (horário oficial de Brasília) no local da prova, já que os portões de acesso abrem às 12h e fecham às 13h;
  • A partir das 13h00min os participantes deverão aguardar em sala de provas até que seja autorizado o seu início às 13h30min, após procedimentos de verificação de segurança, sob pena de eliminação da prova;
  • Levar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente;
  • Ter em mãos um documento original de identificação com foto;
  • Deixar a prova somente depois de duas horas do início, sob pena de ser eliminado;
  • Levar o caderno de questões somente nos últimos 30 minutos antes de as provas acabarem, sob pena de eliminação;
  • Faça o trajeto até o local com antecedência e evite atrasos no dia da aplicação (lembre-se que no sábado e domingo as linhas de ônibus e metrô podem funcionar em horário diferenciado).

Sabemos que você não vai fazer isso, mas vale lembra o que você não pode durante a aplicação da prova:

  • Realizar consultas a materiais ou se comunicar com outros participantes durante o período das provas;
  • Ter consigo lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos, anotações e quaisquer dispositivos eletrônicos, como: calculadoras, agendas eletrônicas, telefones celulares, smartphones, tablets, iPods, pen drives, mp3, gravadores, relógios, alarmes, fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens;
  • Utilizar óculos escuros, boné, chapéu, viseira, gorro ou similares;
  • Portar armas de qualquer espécie, mesmo que  você tenha autorização para o porte;
  • Se ausentar em definitivo da sala de provas antes de decorridas 2 horas do início das provas;
  • Receber quaisquer informações referentes ao conteúdo das provas de qualquer membro da equipe de aplicação do Enem ou de outro participante.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados na página do Inep, até o terceiro dia útil seguinte ao de realização das últimas provas.

E aí, gostou do nosso Guia do Enem? Ficou com alguma dúvida? Sentiu falta de algum assunto? Escreve pra gente e conta o que você achou. 😉