A escolha da profissão envolve muitas perguntas, não é mesmo?! Mas, pra você não ter crise, trouxemos histórias de estudantes que traçaram caminhos um pouco diferentes.

 

Muita gente encontra nos cursos técnicos uma maneira mais rápida de ingressar no mercado de trabalho. Confere aí a história do John. 😉 – 

 

Morador do Morro da Cruz, periferia de Porto Alegre, John Santos sabia que teria muitos desafios para seguir uma carreira após o término do ensino médio (e quanta gente no país não passa por isso, né!).

Foi então que, logo aos 16 anos, ainda na escola, ele se matriculou em um curso Técnico de Enfermagem.

4Momento de descontração com o esqueleto artificial do curso. Arquivo pessoal.

Fiz o técnico como uma oportunidade de conhecer como seria o ambiente hospitalar e se era aquilo que eu realmente gostaria de ter na minha vida.”

 

Aprendizado e oportunidade

Além do conhecimento, o curso realizado em dois anos proporcionou a John oportunidades de emprego, algo importante para quem precisa ajudar nas contas em casa. “É muito amplo, o [profissional] técnico é o que fica na beira do leito junto ao paciente. Somos os ‘olhos’ do enfermeiro.”

 

John explica que o hospital não funciona sem técnicos de enfermagem. Mas, além de hospitais, é possível atuar em laboratórios, clínicas, postos de saúde, ambulâncias, pronto atendimentos e até em eventos. – 

 

Ele já trabalhou em três hospitais diferentes e, como estudante, fez estágios em centros de saúde e atuou como socorrista em estradas, pois já no terceiro semestre começam os estágios obrigatórios, vinculados à escola técnica. É possível encontrar estágios extracurriculares, que oferecem bolsa auxílio.

1No curso, o estudante aprendeu técnicas como aferir pressão e a montagem de materiais de auxílio para o enfermeiro/médico. Arquivo pessoal.

Ele explica que são estágios em que é possível colocar em prática o que se aprende no modo teórico, como higiene e conforto, diluição, preparo e administração de medicamentos por diversos meios: via oral, subcutâneo, intravenoso.

 

Ser técnico dá bastante embasamento para raciocinar clinicamente o caso do paciente e saber se portar diante da equipe multiprofissional e abordar o paciente e a família.”

 

Degrau por degrau

Aos 23 anos, John acumula experiência, trabalha em um grande hospital de Porto Alegre e está cursando o quarto semestre de Enfermagem no Centro Universitário Metodista/ IPA universidade particular que ele custeia com o salário e com um financiamento do FIES.

Anatomia básica, história do SUS e procedimentos básicos de Enfermagem como técnicas de primeiros socorros, por exemplo, foram algumas das matérias estudadas durante o curso técnico e que hoje são uma mão na roda para o estudante no ensino superior.

2Agora na faculdade: John em uma das aulas práticas. Arquivo pessoal.

Desafios

Mesmo muito satisfeito com a atuação profissional, ele destaca que algumas coisas que nem o técnico nem o superior ensinam, especialmente quando se trabalha na área da saúde:

“Trabalho em um Centro de Tratamento Intensivo (CTI) e minha maior dificuldade é perder um paciente jovem. Por mais mecanizado e técnico que seja nosso trabalho, estamos lidando com vidas, com um filho, pai ou uma mãe que está vulnerável”.

E tem mais, o estudante também se identifica com o curso de Medicina. A maior motivação para entrar na saúde, foi o sonho em ser médico. Quem sabe essa não será a próxima realização? “Já estou acostumado em trocar finais de semanas, feriados e aquele churrasco de domingo com a família para estar de plantão no hospital. E, realmente, quero isso na minha vida”, diz.

3John no hospital em que trabalha como técnico de enfermagem. Arquivo pessoal.

Dicas, pra que te quero!

  • O perfil de quem faz curso técnico é bem amplo, desde jovens até pessoas na faixa dos 40 anos;
  • Em média, são dois anos de estudo (ideal para quem precisa ingressar logo no mercado);
  • Certificado na mão, os salários giram em torno de R$1200 a R$1900;
  • No caso do técnico de enfermagem, a remuneração para quem presta concurso em hospitais federais pode ser ainda maior;
  • Informe-se com amigos sobre as escolas técnicas;
  • Há também programas do Governo Federal, como o PRONATEC, que valorizam a formação técnica em várias áreas. Mais info aqui!

Os sonhos da carreira profissional podem ser trilhados por diversos caminhos! O curso técnico pode ser uma excelente escolha para uma boa formação. Esperamos ter ajudado você! Até! 😉