capa

Você concluiu o Ensino Médio e ainda não tem um planejamento para o Enem e vestibular? Ou por acaso já possui uma graduação e está pensando em começar a segunda? E aquela sonhada vaga no concurso está na sua mira e você não faz ideia de como começar a estudar do zero? – 

 

Nesse post, conversamos com o Felipe – jornalista formado que decidiu voltar a estudar e batalhar pelo curso de Medicina – e reunimos valiosas dicas de organização dos estudos pra te mostrar que há luz no fim do túnel! Bora conferir? 💡💡

Segunda chance

Seis anos após a conclusão da faculdade de Jornalismo na UFRGS, Felipe Schroeder Franke estava se sentindo meio deslocado na profissão e resolveu buscar outro caminho. “Eu tinha a impressão de que muitas coisas que eu gostava não tinham lugar na minha vida como jornalista. Optei por uma segunda graduação motivado pela vontade de encontrar mais satisfação, tanto profissional como pessoal.”

Foi aí que o gaúcho de 32 anos iniciou uma saga de estudos pra entrar nada mais nada menos em um dos cursos mais concorridos do país: Medicina! 😲 “Quando comecei a estudar, no 2º semestre de 2015, eu mal sabia por onde começar. Nesses primeiros seis meses, a rotina de estudos foi uma anarquia.”

 

Tive que fazer escolhas. No início, deixei várias disciplinas de lado, pois não teria tempo suficiente pra estudar tudo até o vestibular.”

 

Felipe conta que utilizou um misto de estratégias. “Escolhi entre as matérias que tinham mais peso e as que seriam relativamente produtivas pra mim. Eu sabia que precisava ir muito bem em Biologia, então estudei bastante. Já Química, na qual eu tinha uma certa base, praticamente não estudei.”

Entre os métodos que o jornalista utilizou estão cursinhos, aulas online, provas antigas, listas de exercícios, livros do Ensino Médio e muito material de portais de estudo, universidades e de sites de estímulo à ciência. Ele inclusive acompanhou as aulas de Botânica do Me Salva!.

 

Sabia que a chance de passar era mínima, mas o resultado nas primeiras provas seria um guia vital para saber em que pé eu estava e assim poder organizar os estudos para o ano seguinte.”

 

Organizar e estudar é só começar

Na primeira etapa de estudos de Felipe, ainda em 2015, ele explica que apenas escolheu algumas matérias e montou um plano de estudos extremamente simples: todos os dias estudava duas horas de Biologia, uma hora de Física e, depois, o que desse tempo, com o auxílio de provas antigas.

1Ao longo de 2016, Felipe criou um Biodicionário como parte de um livro-resumo só de Biologia para ajudar a fixar e aprofundar o conteúdo. Foto: Pedro Dario Lima Lairihoy/Dominó de História.

“Já em 2016, eu tinha todo o ano pela frente. Vi que precisava de um plano mais elaborado para não me perder estudando somente o que gostava. Então bolei um plano de estudos que incluísse todas as matérias ao longo da semana, com dia e hora certa para cada uma delas.”

 

Mas o plano de estudos acabou sendo uma das coisas mais difíceis que ele passou! –

 

Felipe não concorda com o conceito de que é necessário passar o dia inteiro estudando. “Eu fracassei porque nunca conseguia cumprir o plano. Foi depois de alguns meses que me dei conta que eu simplesmente não funcionava com horários rigidamente controlados. Eu rendia muito mais estudando no meu ritmo de cada dia, de maneira mais orgânica.”

O porto-alegrense até seguia algumas diretrizes, mas, de modo geral, estudava as coisas que, naquele dia, sentia que estavam rendendo mais. “O importante é que o estudo renda, e isso é uma das coisas mais desafiadoras de se atingir.”

Nessas horas, é importante entender que cada pessoa tem um ritmo diferente de rendimento, então o planejamento dos estudos também irá variar.

 

Você pode conferir o nosso Plano de Estudos Personalizado, ferramenta construída pela nossa equipe de organizadores que monta cada plano de acordo com o seu perfil, rotina e objetivos. Aproveite para testar gratuitamente e ver se você curte! – 😊

 

Desafios pelo caminho

Felipe lembra que muitas pessoas perguntavam como ele tinha paciência pra estudar. “Isso nunca foi realmente um problema. Acho que o mais difícil foi me convencer de que eu tinha o direito de voltar a estudar. Mas ao longo do processo conheci muitas pessoas na mesma situação e vi que não era tão estranho assim.”

No inverno de 2016 a perda de uma pessoa próxima balançou a estabilidade de Felipe. “Foi um período curto, porém intenso e difícil para toda a minha família. Perdi várias aulas e praticamente não estudei. Por algumas semanas fiquei um tanto perdido e abandonei completamente o foco no vestibular.”

 

Aos poucos, porém, voltei a pensar no projeto e retornei aos estudos ainda mais concentrado e comprometido do que antes.”

 

A conquista \o/

Após um ano e meio estudando uma média de seis a oito horas por dia, e de sete tentativas no vestibular e Enem, Felipe conquistou a tão almejada vaga em janeiro deste ano. Ele passou no vestibular para Medicina na UFRGS, PUCRS e na Universidade Federal do Rio Grande (Furg), pelo Sisu.

E quais conselhos ele dá?

O que serve muito bem para um pode ser não ser uma boa ideia para outro, mas existem algumas orientações básicas que podem ser úteis para quem está começando a estudar do zero”.

 

Olha só o que o jornalista recomenda:

  • Descubra como está o seu desempenho em cada matéria e qual é a nota de corte e peso das disciplinas para entrar no curso que deseja. É essencial ter clareza sobre o que é cobrado na prova;
  • Conheça muito bem as provas dos vestibulares que vai prestar, pois os exames podem apresentar muitas variações;
  • Converse com pessoas que também estão se preparando, pois na troca de ideias sempre rola algo positivo;
  • Gerencie seu tempo. Isso depende do perfil e das possibilidades de cada um, mas você deve encontrar um sistema que funcione e seja confortável pra você. Conhecer seus pontos fracos é muito útil para coordenar e otimizar o tempo de estudo.

Dicas, pra que te quero!

Se liga em outras dicas que nós reunimos pra ajudar você a começar a estudar do zero:

  • Defina seus objetivos: em qual curso e qual universidade quer entrar. Saber o que você quer ajuda no foco para a preparação;
  • Escolha o local de estudo, que deve ser confortável e com poucas distrações;
  • Crie um plano de estudos. A chave para um planejamento dar certo é a organização (lembra que falamos do Plano de Estudos Personalizado do Me Salva! ali em cima?);
  • Procure provas anteriores para se familiarizar com o perfil do exame;
  • Defina quantas horas por dia você poderá estudar, de acordo com a sua rotina;
  • Selecione as ferramentas e métodos que funcionam pra você: apostilas, livros, videoaulas, cursinhos online, grupo de estudos, fazer resumos;
  • Faça muitos exercícios e simulados. A prática é uma grande aliada;
  • Descubra o seu ritmo de estudos. Para alguns, é mais fácil começar a estudar pelas matérias em que há mais facilidade e depois seguir para as mais difíceis.

Curtiu? Esperamos que o relato do Felipe e nossas dicas ajudem você a se organizar e começar a estudar com tudo! Confere outras Dicas de Estudos e até a próxima! 🚀