Já pensou poder aprender e curtir uma praia linda ao mesmo tempo? João Pessoa é assim: mar cristalino, muito arborizada e cheia de prédios antigos.

 

Que tal deixar os livros de lado um pouco e caminhar por essas ruas cheias de história com o Conexão Cultural? – 

 

João Pessoa tem uma história muito rica e cheia de reviravoltas. Habitada desde os anos 1000 por diferentes povos indígenas, foi fundada oficialmente em 1585 com o nome de Cidade Real de Nossa Senhora das Neves, e é a terceira Capital de Estado mais antiga do Brasil.

5Pôr do Sol na Praia do Jacaré. Ruy Carvalho.

É conhecida como Porta do Sol por causa da Ponta do Seixas, que é o ponto mais oriental das Américas: é o lugar onde o sol nasce primeiro em todo o continente americano.

No século XVI, quando os primeiros europeus chegaram, a região era território fronteiriço entre as tribos tupis dos Potiguaras (que se opuseram aos portugueses) e dos Tabajaras (que se aliaram aos colonizadores).

 

Conquistada pelos Países Baixos, a partir de 1634 a cidade passou a se chamar Frederikstad. Porém, com o declínio da Nova Holanda e com a saída dos invasores em 1654, a cidade foi renomeada Parahyba do Norte. –

 

 

O nome João Pessoa é uma homenagem ao político paraibano João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, assassinado em 1930 na cidade do Recife, quando era presidente do Estado e concorria como candidato a vice-presidente da República, na chapa de Getúlio Vargas.

1Centro Histórico de João Pessoa. Jailson Coutinho.

João Pessoa é conhecida por suas belas praias. O mar verde-esmeralda se destaca na paisagem e as praias do trecho urbano são próprias para banho. A Orla de Tambaú oferece infraestrutura, com barracas e cadeiras, bares e restaurantes, além de ser exemplo no cuidado com o meio ambiente, com lixeiras instaladas na areia.

 

Extremamente arborizada, a cidade foi considerada a “segunda capital mais verde do mundo” em 1992, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento. – 

 

3O verde da cidade expresso no Rio Jaguaribe. Geo Nando.

Bolero na Praia do Jacaré

Pra quem quer curtir uma experiência única, juntando o espetáculo da natureza com a harmonia da música, não pode perder o pôr-do-sol na Praia do Jacaré ao som do Bolero de Ravel. Há 16 anos, sem falta, Jurandy do Sax, de 60 anos, é atração turística na Praia, tocando o bolero no seu saxofone em cima de um barquinho enquanto o sol se põe. Ele inclusive entrou para o Livro dos Recordes como a pessoa que mais executou a música no instrumento de sopro. Dá pra curtir o espetáculo da beira da praia ou em um dos diversos catamarãs turísticos.

8Jurandy do Sax tocando o Bolero de Ravel na Praia do Jacaré. Edson Lopes Jr.

Estação e Praia de Cabo Branco

A Estação Cabo Branco foi projetada por Oscar Niemeyer e é um espaço dedicado à ciência, à cultura e à arte. Além de poder curtir a beleza da arquitetura, você vai encontrar exposições fixas, temporárias, parque com brinquedos educativos, oficinas e projetos voltados para a Astronomia.

Você pode aproveitar o passeio e visitar o Farol de Cabo Branco, que simboliza o lugar onde o Sol nasce primeiro em nosso continente. O farol tem formato triangular e é utilizado apenas como marco, não tem fins náuticos. Você pode aproveitar um dia de tempo firme e esticar o passeio, dando uma caminhada pela orla da Praia Branca.

farol-_-cacio-murilo Vista aérea do Farol de Cabo Branco. Cácio Murilo.

Centro Cultural São Francisco

O Centro Cultural São Francisco engloba a Igreja de São Francisco, o Convento de Santo Antônio, um Museu de Arte Sacra e algumas capelas entre elas, a Capela Dourada. O local começou a ser construído em 1589, mas só foi concluído em 1788. Vale a pena visitar esse complexo que demorou quase 200 anos para ser concluído!

7Centro Histórico de João Pessoa. Ruy Carvalho.

Com a visita guiada você vai poder conhecer diversos ambientes do Centro Cultural, detalhes da arquitetura que incluem o estilo barroco e o uso de muito ouro, mármore e azulejos pintados.

 

A Igreja de Santo Antônio se destaca pelos seus móveis em mogno e pela bela vista panorâmica. A Capela Dourada, como diz o nome, tem uma grande cobertura de ouro e pedaços do piso feitos com mirra, que até hoje exala um pouco do seu perfume. –

 

2A fachada da Igreja de São Francisco. Paraíba Criativa.

Se liga na Agenda!

Galeria de arte

  • O que: Estação Cabo Branco
  • Quando: de terças a sextas das 09h às 21:00. Sábados e domingos das 10h às 21h
  • Onde: Av. João Cirillo da Silva, s/n, Cabo Branco
  • $$: gratuito
  • Mais info

Exposição

  • O que: Centro Cultural São Francisco
  • Quando: de segunda a sexta das 08h30 às 17h. Sábados e domingos das 09h às 14h
  • Onde: Praça São Francisco, Centro
  • $$: R$ 4,00 a visita guiada
  • Mais info

Ao ar livre

  • O que: Orla de Tambaú
  • Quando: a qualquer hora
  • Onde: Av. João Maurício, 269-339, Tambaú
  • $$: gratuito
  • Mais Info

Parque

  • O que: Parque Zoobotânico Arruda Câmara
  • Quando: de terça a domingo das 08h às 17h
  • Onde: Av. Gouveia Nóbrega, Centro
  • $$: R$ 1,00
  • Mais info

Rua

  • O que: Mercado de Artesanato Paraibano
  • Quando: de segunda a sábado, das 09h às 19h. Domingo das 09h às 18h
  • Onde: Av. Sen. Rui Carneiro, 241, Tambaú
  • $$: gratuito
  • Mais info

6O Centro Histórico de João Pessoa. Ruy Carvalho.

Curtiu nossas dicas? Bora conhecer João Pessoa? Fica ligado(a) nas nossas dicas no Conexão Cultural, assim você pode encher sua vida de novas referências! 😉